Terça 18 Setembro 2018

depoimentos

Cláudio Celso

Eu fui o cara que convenceu o violonista Nico Assumpção a tentar tocar baixo elétrico numa Jam session com o Zimbo Trio e os professores do CLAM, porque o baixista da banda, Luis Chaves, teve que ir pra casa mais cedo.

O cara pegou o baixo pela primeira vez na vida, meio contra sua vontade, mas quando começou a tocar, o Rubinho Barsotti e o Amilton Godóy ficaram embestado de choque na casa da Suzana Lunardelli onde a jam estava rolando. O Nico tocava a primeira nota de sua vida no baixo eletrico e já soava como o Luizão no Elis e Tom!!!

O primeiro trabalho dele no baixo foi na boite HULABALOO, na Avenida Santo Amaro em São Paulo, batalhado por mim. Tivemos que pedir o baixo emprestado pra Suzana Lunardelli. Ele ainda não era baixista, mas tocava melhor que todos os baixistas de sua geração, com apenas 4 horas de experiência no instrumento. Depois de 6 meses tinha ss tornado um monstro no acústico, deixando todos atônitos sem entender nada!!!

GÊNIO !!!!!

GÊNIO MUSICAL TOTALMENTE ANORMAL!!

ANIMAL!!!!

Para mim é um prazer muito grande participar disso tudo, pois fui eu quem o convenveu a virar baixista e também quem o acolheu em minha casa, em Nova Iorque, após tê-lo convencido a mudar-se para lá. Coincidentemente no mesmo edifício em que eu morava vagava o apartamento onde Guilherme Vergueiro morava, pois estava voltando para o Brasil. Nico, Manny Monteiro, Mané Leão se mudaram para lá. Enturmamos a tropa com os músicos de lá, pois já éramos novaiorquinos a 2 anos. NICO ASSUMPÇÃO chocou a comunidade de Jazz em N.Y.C. que até então não sabia que o Brasil produzia VIRTUOSOS!!!

EDDIE GOMEZ, o herói de Nico, ironicamente se tornou seu tiéte. Fato que perturbou a cabeça do Nico, que não entendeu como havia se tornado o ídolo de seu ídolo!!!

Curriculum

Considerado como um dos 100 melhores guitarristas do mundo pela revista Guitar Player e imortalizado na Enciclopédia de Músicos do Brasil (www.musicosdobrasil.com.br), brasileiro virtuoso, o guitarrista Claudio Celso já tocou com ícones do jazz dos Estados Unidos e do Brasil, incluindo Chet Baker, Dexter Gordon, Jaco Pastorius, Eddie Gomez e Hermeto Paschoal, e trabalhou para os produtores de Creed Taylor e Teo Macero quando morava em NY. Sua música toca nas rádios de jazz e suas composições e performance carismática fascinar um vasto público. Claudio tem desempenhado em alguns festivais de jazz finos, tais como o Festival de Jazz de Newport, o Cool Jazz Festival, em Nova York e no Festival de Jazz de Monterey além de inúmeros concertos por todo o país.