Segunda 10 Dezembro 2018

depoimentos

Pascoal Meirelles

A primeira coisa que me vem a memória é a sua superior musicalidade, aliada à técnica incomparável no dois instrumentos-baixos elétrico e acústico.

Nico tinha uma forma pessoal de interpretar as músicas e assim, acredito que era impossível qualquer músico que tenha mantido um contato profissional com ele, que não tenha tido alguma espécie de controvérsia, quando o assunto se tratasse de interpretação musical, sobre um texto ou forma de acompanhar uma determinada música. Isto fazia parte da sua personalidade musical.

Foi a busca pela excelência enquanto foi o instrumentista acompanhando e gravando com os ícones da MPB. No âmbito educativo, foi um professor completamente inteirado da importância de conseguir transmitir seus conhecimentos de uma maneira profundamente elucidativa.

Curriculum

Pascoal nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais, em setembro de 1944. O princípio foi autodidata, e já aos dezesseis anos, Pascoal começou sua carreira profissional em tocando em night-clubs.

Pascoal MeirellesApesar de ser mais conhecido como baterista – e um dos melhores da MPB – um dos instrumentos que Pascoal Meirelles mais gosta pra se expressar é o piano. É com ele que compõe suas canções, as quais toca – já de volta às baquetas – com seu trio.

Após chegar de uma excursão pela Ásia,teremos em 2010 mais dois álbuns : Dubai-Lima-Guitar Project com o Trio tendo como convidados nas gravações:Leonardo Amuedo, Alexandre Carvalho, Ricardo Peixoto, Nelson Faria e Kamal Mussalan, e Ostinato, com o Pascoal Meirelles Sexteto.

Em 1979, graduou-se em música pela Berklee College of Music, em Boston. A lista de cantores e músicos com os quais dividiu palco e disco após o retorno ao Brasil até assusta: Gonzaguinha, Hélio Delmiro, Maysa, Wagner Tiso, Chico Buarque, Edu Lobo, Luís Bonfá, Elis Regina, Tom Jobim (com quem gravou o histórico disco Terra Brasilis, de 1977), Ivan Lins.

Ganhou indicações a prêmios como o Sharp como melhor arranjador e o Tim como melhor disco por Tributo á Art Blakey. Ao mesmo tempo que gravava disco solo, tramava um dos momentos de ouro da música instrumental brasileira, o grupo Cama de Gato, que em 2010 completa 25 anos de carreira em atividade.

Na parte educacional é professor convidado para lecionar não somente bateria como MPB nas melhores Universidades do Brasil e do Mundo tendo lançado em DVD a peça escrita por ele para três baterias denominada TRIUNVIRATO e ainda um livro didático pela editora Irmãos Vitalle chamado “ A Bateria Musical”.