Terça 18 Setembro 2018

depoimentos

Ney Conceição

A primeira coisa que me vem a lembrança é a minha chegada ao Rio, porque andava atrás dele em todos os shows que ele fazia por aqui, naquela época tinha muito show no Rio e entre 10 shows de musica instrumental ele estava pelo menos em 7.

O Nico me influenciou na condução, acho que o erro dos baixistas de hoje, se deve ao fato deles só se ligarem no solo, eu me influenciei muito na condução do Nico, enquanto todo mundo estava ligado nos solos, eu estava ouvindo discos que ele só acompanhava. Ele foi um dos maiores baixistas de condução que eu já conheci.

Me lembro de um show do Marinho Boffa no extinto Rio jazz club, ele, como sempre, tocou muito, esse show ficou marcado pra mim, tinham cinco pessoas, contando comigo, e ele tocou como se estivesse tocando em um festival de jazz com 10 mil pessoas.

Apesar de ele não ter feito uma carreira solo constante, ele deixou para mim o incentivo de que é possivel ter uma cerreira solo no Brasil tocando contrabaixo. E para a musica brasileira ele deixou o contrabaixo mais limpo do mundo e swingado.

Tive uma relação muito boa com ele, fui vizinho dele, encontrava todos os dias na padaria, mercado etc... e frenquentei a casa dele, infelizmente não tive aula direta com ele, mas tive muitas aulas vendo ele tocando, essa é a melhor aula quando você está ligado na coisa certa.

Curriculum

Iniciou sua carreira em Belém do Pará, sua terra natal, tocando com vários artistas locais, inclusive com expoentes do folclore regional e, em 1996, transferiu-se para o Rio de Janeiro.

Ney ConceicaoParticipou de inúmeras gravações e tocou com grandes nomes do cenário musical brasileiro e internacional, como: Airto Moreira, Arthur Lipner - com quem gravou em NY, Carlos Malta, Cláudio Daeulsberg - com quem excursionou pelo Brasil e Europa, incluindo participação no festival de jazz de Montreaux, quando gravaram CD ao vivo, Cláudio Nucci, Danilo Caymmi - fazendo turnês pelo Brasil e Europa, Daniel Gonzaga, Dário Galante, Fátima Guedes, Gilson Peranzetta, Gonzalo Rubalcaba, Jane Duboc, João Donato, João Nogueira, Luíz Avellar, Márcio Montarroyos, Maurício Heinhorn, Marco Rezende, Marcos Amorim, Moraes Moreira, Naná Vasconcelos, Pascoal Meirelles, Paulinho Trumpete, Paulo Moura, Roberto Menescal, Sivuca, Sebastião Tapajós - excursionando por inúmeras cidades brasileiras, turnês na Europa nos anos de 1997, 1998, 1999 e 2000, e América Latina, além da gravação da trilha sonora de um longa metragem, "Lendas Amazônicas", e sete cds de carreira do mesmo, Wanda Sá, Widor Santiago, Wilson Meirelles,Zé Keti e Zé Roberto Bertrami, entre outros.

Com Robertinho Silva gravou o cd, "JAQUEDU", no ano de 2000, com quem também viajou pelo Brasil, EUA e Europa. Em 2005 lançou seu primeiro disco solo e todo autoral intitulado "Ney Conceição".

Atualmente, junto com Kiko Freitas e Nelson Faria, faz parte do trio que acompanha o cantor e compositor João Bosco. Com João Bosco gravou o cd "Malabarista do Sinal Vermelho" e o primeiro DVD do artista, "Obrigado Gente!", e excursionam pelo mundo. Incluindo shows no "Blue Note" de Tókio e New York, e toda a Europa.